Informações Gerais

XV Congresso Nacional de Excelência em Gestão (ISSN 1984-9354), VI INOVARSE & IX Congresso de Sistemas Lean 

 
Na edição de 2019 o XV CNEG & VI INOVARSE ocorrerá sinergicamente com o
IX Congresso de Sistemas Lean.

 

O CNEG, neste ano de 2019, aborda o contexto da modernização das organizações públicas, privadas e do terceiro setor e sua eficiência produtiva, atribuindo-lhe a possibilidade de formar suporte para melhor desempenho econômico, social e ambiental.

Por sua vez, o aumento da população mundial, a contínua urbanização, a maior expectativa de vida elevarão ainda mais o consumo de produtos  e de serviços destinados a atender as necessidades humanas.

Outra macro tendência pode ser constatada no fato de que o Brasil deverá assumir um papel de maior protagonismo na responsabilidade ambiental.

As tecnologias digitais elevam as possibilidades de ampliar o conhecimento e a interação entre todos os elos das cadeias produtivas. Podem ajudar a resolver uma equação complexa e com inúmeras variáveis econômicas, sociais e ambientais em que é preciso produzir mais, com qualidade e com menor uso de recursos naturais.

A “digitalização da indústria e de serviços” é entendida como interdisciplinar e transversal.

Em um mundo cada vez mais dinâmico, as organizações tem a possibilidade de utilizar avanços como as tecnologias de informação e comunicação (TICs), internet das coisas, inteligência artificial, automação, robótica e big data e small data. Novas abordagens são aplicadas no planejamento da produção de produtos e de serviços, acesso a mercados, comercialização e transporte. As organizações contam com  serviços baseados em imagens de satélites, veículos aéreos não tripulados (VANTs) e sensores terrestres, sistemas de posicionamento global por satélite (GPS) e sistemas de informações geográficas (SIG).

Esses recursos são determinantes na redução de custos e aumento da produtividade e renda.

Novos satélites geoestacionários e conjunto de nanossatélites do setor privado de comunicação, permitem o monitoramento de recursos naturais e já orbitam a Terra. Monitoramentos geoespaciais asseguram a conservação, recuperação e uso sustentável de ecossistemas terrestres e aquáticos. Dão sustentação à implementação da gestão sustentável de florestas plantadas e restauração de florestas e pastagens degradadas. Sistemas de telemetria e GPS colaboram em medidas preventivas e corretivas envolvendo o tráfico de espécies da flora e fauna protegidas, mantendo a biodiversidade e elevando as oportunidades locais de subsistência sustentável de comunidades tradicionais. Bancos de dados armazenam informações de recursos genéticos vegetais e animais (nativos e exóticos), cadastramento de conhecimentos tradicionais, produtos locais e um catálogo de atrações que promovem o turismo rural.

Novos aplicativos, disponíveis para tablets e smartphones, são um suporte nas tomadas de decisão sobre práticas de produção de serviços e produtos. Ajudam a compreender as condições meteorológicas, como secas e inundações, colaborando preventivamente na manutenção da qualidade do solo, água e ar.Na vanguarda da inovação digital e com grande potencial , desenvolvem se as startups, com soluções disruptivas a problemas antes considerados  não resolvíveis. Conceitos da economia digital, como fintech (finance & techonology), blockchain e criptomoedas servem de soluções para as áreas financeiras envolvendo o comércio internacional, importações e exportações de insumos e produtos.

Os desafios estão em desenvolver e incorporar dinamismo e integração entre a pesquisa, ensino, setores da indústria e de serviços e governos. Esse ambiente digital molda agendas de desenvolvimento em várias escalas. Internacionalmente, pode ser associado à Agenda 2030 que envolve 17 Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS). Nesse contexto, a transformação digital nas organizações  contribui no alcance desses objetivos, por meio do compartilhamento de informações, aumento da produtividade, ampliação do poder de informação, monitoramento do desperdício da produção, maior integração entre o campo e as cidades e o aperfeiçoamento da integração nas cadeias produtivas.

 

IX CONGRESSO DE SISTEMAS LEAN

Os Sistemas Lean são reconhecidamente uma abordagem eficaz de eliminar desperdícios e garantir a competitividade dos negócios. Originalmente concebido na indústria automotiva, suas práticas e princípios expandiram-se para os mais diversos segmentos, tais como saúde, aeroportos, serviços públicos e outras áreas da indústria. Contudo, apesar de sua ampla disseminação, a construção dos comportamentos apropriados e desenvolvimento das competências necessárias continuam sendo um ponto de difícil aplicação nos Sistemas Lean.

Objetivos
- Explorar a integração dos conhecimentos e práticas empresariais e acadêmicas em torno dos princípios e filosofia LEAN a fim de promover o aprendizado e crescimento;
- Intensificar o desenvolvimento da Engenharia de Produção/Industrial no Brasil, destacando assuntos referentes à implementação LEAN nos mais diversos setores e segmentos;
- Ampliar o intercâmbio de informações e de ideias entre acadêmicos, docentes, pesquisadores, profissionais e instituições;
- Debater temas relevantes da área abordando aspectos referentes à sustentação de sistemas LEAN; e
- Criar estratégias para a integração de universidades e empresas a fim de promover crescimento e aprendizado mútuo.

Lean Manufacturing foi originalmente desenvolvido pelo executivo da Toyota Taiichi Ohno como um dos pilares do Sistema Toyota de Produção, nos anos 50 do século XX, e possuía como foco principal a redução de desperdícios. Posteriormente, estes conceitos se expandiram para além da manufatura, sendo aplicados também a serviços e a construção e montagem industrial.

O Congresso de Sistemas Lean é um evento que originalmente visava a integração de universidades, empresas e entidades científicas no Sul do Brasil, possibilitando o intercâmbio de informações referentes a ensino, mercado de trabalho, projetos de pesquisa e extensão através da interação dos diversos grupos de pesquisa da região Sul. Iniciado em 2007, o encontro tinha a pretensão de ocorrer bianualmente, sendo que nas últimas edições, pela grande aceitação e participação do meio acadêmico e empresarial, decidiu-se pela periodicidade anual, tendo as suas três primeiras edições organizadas pelo Instituto Gaúcho de Estudos Automotivos - IGEA e realizados na FIERGS, Federação das Indústrias do Rio Grande do Sul.  Abaixo apresenta-se o histórico recente do Congresso de Sistemas Lean.

Considerando o atual momento econômico do País torna-se de extrema importância a realização de um evento em que compartilhe os principais avanços no âmbito da produção enxuta. Neste contexto, a expectativa é que este evento tenha um alto poder multiplicador e difusor de um conhecimento de grande valia e utilidade para a Sociedade.

Após a realização de seis edições do evento na Região Sul do Brasil, a Sétima Edição do Congresso de Sistemas Lean, buscou-seu estender geograficamente a abrangência do evento para regiões além do Sul do Brasil, amplificando a reverberação das discussões junto aos segmentos acadêmicos e empresariais em regiões onde se faça nesse necessária a melhoira dos processos de produção de bens e serviços.

Com a crescente atenção direcionada aos sistemas Lean, nos diversos segmentos empresariais, o Congresso promoveu e intensificou a soma de informações, conceitos e práticas; Isto ocorreu de forma aalinhada ao tradicional objetivo do evento: fomentar a integração dos conhecimentos e práticas empresariais e acadêmicas, em torno dos princípios e filosofia Lean, a fim de promover o seu aprendizado e crescimento.